du Contra: História de M.F.W. - Terceira Parte

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2006

História de M.F.W. - Terceira Parte

- Tia, eu quelo a balinha veimelha. - disse nosso pequeno herói, mirando a mulher com um olhar comovente.

- Oh, que meigo. Mais uma vez uma criança de três anos de idade prova ser a melhor pessoa para trabalhar para o Helfer der Masse. Vamos, agora você precisa de um banho e roupas novas, essa fantasia está horrível. - e todo aquele ambiente, a casa, a estrada de terra e tudo mais se transformam em um galpão vazio, com três terminais de computadores na parede e monitores desligados, saindo dali entraram em um helicóptero futurista e silencioso.

Voaram calados por cinco minutos, e pousaram no heliporto de um edifício bem grande, no meio de outros maiores, em uma cidade maior ainda.

Desceram de elevador alguns andares e no fim do corredor entraram por uma porta. Parecia uma sala de espera, alguns sofás em um canto e uma mesa no centro com brinquedos de todos os tipos, bonecas, carrinhos, uma pilha de album de figurinhas, umas caixas de plástico do lado e no meio um pote de vidro cheio de um líquido amarelado, e mergulhado nesse líquido um escorpião. Tinha uma menininha brincando com uma das bonecas, mas parou depois que Meister tomou banho, no banheiro do lado dos sofás.

- Oi menininho, aqui tem boneca. - disse a garotinha, agora sentando do lado de Meister.

- Mas tem cachorro pequeno? - perguntou Meister, com uma cara de quem realmente esperava uma resposta.

- Tem pilha? Ela chora? É de apertar? Ela tem chupeta? - replicou a garotinha, ignorando a pergunta do menino e apontando para o bebê em seu próprio colo.

- Algumas. Depende. Talvez. Provavelmente. Eu não faço parte de nenhuma gangue, e nem nunca comi risoto, mas ainda quero um carrinho de controle remoto e gosto de quando respondem minhas perguntas.

- Meu nome é Maria Schreien - e desaba em um choro com berros ensurdecedores, mas pára quando encontra uma chupeta no meio de várias colheres torcidas, dentro de uma das caixas de plástico.

Então a senhora Schönheit entra por uma outra porta do lado oposto a do banheiro, sua beleza estava um pouco menos notável. Pega Meister no colo e entra em uma quarta porta, a maior de todas e aparentemente bem segura, feita de metal.

O lugar que entraram era aparentemente um escritório comum. Várias prateleiras lotadas de livros, duas cadeiras, do outro lado uma poltrona confortável e uma mesa no meio. Em cima da mesa uma tela grande de computador, um porta caneta vazio e quase caindo da mesa um pote de vidro cheio de um líquido amarelado, e mergulhado nesse líquido um escorpião.

postado por Zeca Daidone - 18:08 -

5 Comentários:

Anonymous tonto:

01 %3(4
5|_|4 _/4//74 // 73/// 8474745.
falando serio, o escorpiao eh venenoso? =0''

fevereiro 09, 2006 6:15 PM

 
Anonymous Dark:

\/( ///3 |>4|273 4 (4|24!!11..

Nice one cluster!. =]
e eu quero um escorpião igual! >.<

apropósito: Risoto é bom!!!.

fevereiro 09, 2006 6:36 PM

 
Anonymous tonto:

O dark soh comenta qdo eu falo q posto xD
eh um nigger msm u.u

fevereiro 09, 2006 6:38 PM

 
Anonymous marco:

ae cluster...jah tinha lido......huahuaha tah ficando massa, essa promete ser a melhor...flwww

fevereiro 10, 2006 11:41 AM

 
Blogger Lews:

tem scorpião em todas as salas do lugar? o.O onde arrumaram tanto? =Pp
to ficando com medo =x

fevereiro 11, 2006 3:45 PM

 

Postar um comentário

<< Home

o que era pra ser?

Blog feito para expressar opiniões que eram para ir contra a maioria da sociedade, mas acabam sem expressividade e não expressam nada com expressão mesmo. Então o objetivo é propagar informações e/ou qualquer coisa que talvez não sejam muito informativas, mas o principal e quem sabe até real motivo é servir como uma válvula de escape de uma criatividade extremamente fértil, que infelizmente de vez em quando não é bem direcionada. Por enquanto.

quem acho que sou?

cluster / josé a. daidone neto

Estudante de Engenharia de Computação na UFSCar, 22 anos de idade, inquieto quando era para ficar quieto e quieto quando era para inquietar-se, tenta estar animado mesmo diante dos piores cenários para nosso incerto futuro. Saiba mais aqui

Gosta muito de ler, de computadores, internet, desenhos animados, séries (mas não as numéricas), filmes de ação e de aventura, ama o seu quarto e é viciado em Pink Floyd, mas tem ouvido muita coisa ultimamente.

Não gosta de várias coisas, como por exemplo ter que repetir o que disse após um 'oi?' ou simplesmente perder um gol durante a educação física (isso não existe mais, enfim). Em tempos de universidade, não gosta de ter que dedicar tanto a teoria matemática e perceber que toda sua criatividade e tempo livre cada vez são menores. Também não gosta de ter que lembrar o que não gosta.

siga este caminho

nostálgico passado

li, gostei, recomendo

feed - sirva-se

outros

Powered by Blogger

Image 

hosted by Photobucket.com

BlogBlogs.Com.Br