du Contra: Março 2007

terça-feira, 27 de março de 2007

Quando X tende a infinito

Quando o nível de qualidade de uma coisa é X, e esse X tende ao infinito, temos que o nível de qualidade dessa coisa chegou a perfeição, certo? Certo. Então para mim, a teoria do 'nada é perfeito' acaba de ser quebrada, linxada, arrasada, destruída, massacrada, virou pó, e quase levou junto a lei de lavoisier, coitadinha.

Horas de pensamento e não consigo chegar a uma definição melhor de como foi o show do Roger Waters: PER-FEI-TO. E só, simples.

Nem se eu tomasse a pílula-mágica-do-máximo-otimismo-instantâneo, acreditaria que possa alguma vez, no futuro e todas suas variáveis de geração de probabilidade, existir algum show igual ou melhor (analisando todas as grandezas escalares ou vetoriais ou não) ao de sábado.

Enfim, meu cérebro continua formigando e isso se renova toda vez que assisto aos vídeos que gravei com a câmera digital. Quando a capacidade emocional cooperar (ou quando sobrar algum tempo), eu subo tudo pro Youtube e linko aqui.

Abraço do Floydiano mais feliz do mundo, estou confortavelmente entorpecido.

---

Primeiro vídeo (The Happiest Days of Our Lives + Another Brick in the Wall):



Segundo vídeo (porco inflável flutuando durante a música Sheep):



Depois vem mais, inclusive algumas fotos, alguns fatos que deixei de falar, e novidades da minha vida (AHHHH NÃOOOO!).

Agora voltarei as contas, fórmulas e teorias de física.

postado por Zeca Daidone - 20:42 - comente (5)

sexta-feira, 16 de março de 2007

The Sims 2: primeiras impressões

[Observação: escrevi esse texto a pouco menos de um ano, depois ele foi jogado em alguma pasta do HD, só achei agora e resolvi publicar.]


Começar a jogar um jogo mais complexo que PacMan normalmente é frustrante pra mim. Eu não tenho paciência para seguir a risca as instruções pré-estabelecidas, não leio o manual, não sigo conselhos de amigos, não faço nada certo, e pra piorar, eu não tento jogar sério, sempre vou logo querer zoar, o que deixa minha primeira impressão péssima, pois são poucos os jogos que aceitam zoação imediata. Como fazer uma piscina dentro do quarto se não tenho dinheiro nem pra ter o quarto?

Nunca dei muita importância para os jogos de simulação da família Sims. Tanto que só fui jogar o The Sims 2 agora, um tempão depois dele ser lançado. Eu gostava bastante de jogar Simcity no computador do meu pai, quando Windows 95 era apenas previsão de lançamento e imperava o marcante Windows 3.11, mas fora isso joguei muito pouco as próximas versões. Quase não aproveitei o Theme Hospital e o Theme Park, e enjoei rapidamente do The Sims 1 e todas aquelas expansões piratas que teimavam em dar pau em algum momento da instalação.

Começar a jogar The Sims 2 foi super empolgante, principalmente por estar tanto tempo sem internet e de ter que esperar por uma instalação tão demorada, de quatro discos. Logo no início do jogo me deparo com um fantástico modo de criação de personagem, você escolhe até a distância entre as duas sombrancelhas, e melhor, pode até colocar uma monocelha em seu personagem. Opções é o que não falta, você faz a aparência e as características psicológicas de seu personagem escolhendo em um tipo de biblioteca com inúmeros tipos de cabelo, formato de cabeça, comprimentos de pernas e dedos, cor da olheira, roupas para dormir, acordar, ir ao banheiro, ir trabalhar, ir em festas, etc.

Depois de escolher até quantos fios de cabelo teria meu carinha, escolho minha casa (a mais barata) e pronto, só começar a simulação de minha vida virtual. Foi fácil notar que a casa não tinha cama, cadeira, mesa, geladeira, fogão, ou seja, itens básicos para sobrevivência. Então vai lá eu mais uma vez escolher o que comprar, afinal, este jogo é baseado simplesmente em escolhas. Pra onde ir, o que fazer, tomar banho ou defecar? Eis a questão.

Ok, agora a casa está decente o suficiente para uma duração um pouco maior da diversão. Mas nem tanto, meu carinha, ou melhor, Bob (vou chamá-lo assim, cansei de falar “meu carinha”, “o personagem”), está com vontade de ir no banheiro. Ih, mas agora ele tá sem higiene, vamos tomar um banho. Puxa, que azar, a campaínha tocou e Bob não pôde atender. Pronto, agora o social de Bob está baixando. Que tal ligar pra alguém? Ops, não temos telefone. Ok, comprei, agora que tal ligar pra alguém? Empregada, Mecânico ou Entregador de Pizza? Ai, a energia está acabando, já é hora de dormir? O que eu faço enquanto o Bob está dormindo?

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...

Acordei com fome, social baixo, diversão baixa, ambiente zerado, e vontade de ir ao banheiro. Meu dinheiro tá acabando, não tenho emprego. Esse jogo é MUITO chato, parei de jogar e acabou o post.

postado por Zeca Daidone - 16:27 - comente (23)

terça-feira, 13 de março de 2007

Faltam 11 dias...

...para o tão aguardado SHOW!

E tem coisas acontecendo na minha vida que não deixam minha cabeça pensar em mais nada, o blog acaba ficando em último plano mesmo, não tem jeito. Até comecei a fazer o tal post de 'Como ser dispensado no Tiro de Guerra', mas não consigo terminá-lo.

Ontem começou o cursinho, isso significa cabeça ocupada com estudos todas as manhãs e tardes, e noite livre para internet e etc. Pode ser, repito, PODE SER, que isso me dê um estímulo para escrever mais aqui, já que meu horário estará bem ocupado, e nos períodos que isso aconteceu, eu tinha pique e idéias para posts e tal. Fora que convívio social forçado todas as manhãs, sem exceção, é uma ótima fonte de criatividade.

Como diz o título, faltam apenas 11 dias para provavelmente o melhor show que irei em toda minha vida. Aliás, não sei como irei para o estádio, e muito menos como voltarei (visto que não tem mais transporte público no horário que vai acabar tudo). Espero que essa semana dê pra resolver isso. Qualquer coisa eu espero amanhecer em qualquer lugar e pego metrô e ônibus no dia seguinte. ;P Afinal, já vou ter visto o show mesmo! AHHHHHH

Pra quem não viu, matéria com Roger Waters no Fantástico que passou esse domingo, 11 de março.



Eu quase chorei só de assistir isso, imagina ao vivo! =0''

postado por Zeca Daidone - 21:42 - comente (2)

o que era pra ser?

Blog feito para expressar opiniões que eram para ir contra a maioria da sociedade, mas acabam sem expressividade e não expressam nada com expressão mesmo. Então o objetivo é propagar informações e/ou qualquer coisa que talvez não sejam muito informativas, mas o principal e quem sabe até real motivo é servir como uma válvula de escape de uma criatividade extremamente fértil, que infelizmente de vez em quando não é bem direcionada. Por enquanto.

quem acho que sou?

cluster / josé a. daidone neto

Estudante de Engenharia de Computação na UFSCar, 22 anos de idade, inquieto quando era para ficar quieto e quieto quando era para inquietar-se, tenta estar animado mesmo diante dos piores cenários para nosso incerto futuro. Saiba mais aqui

Gosta muito de ler, de computadores, internet, desenhos animados, séries (mas não as numéricas), filmes de ação e de aventura, ama o seu quarto e é viciado em Pink Floyd, mas tem ouvido muita coisa ultimamente.

Não gosta de várias coisas, como por exemplo ter que repetir o que disse após um 'oi?' ou simplesmente perder um gol durante a educação física (isso não existe mais, enfim). Em tempos de universidade, não gosta de ter que dedicar tanto a teoria matemática e perceber que toda sua criatividade e tempo livre cada vez são menores. Também não gosta de ter que lembrar o que não gosta.

siga este caminho

nostálgico passado

li, gostei, recomendo

feed - sirva-se

outros

Powered by Blogger

Image 

hosted by Photobucket.com

BlogBlogs.Com.Br