du Contra: Aventura nas cavernas dos anões - PARTE 1

terça-feira, 22 de novembro de 2005

Aventura nas cavernas dos anões - PARTE 1

Após acordar, vestir sua armadura predileta, Lord Yank afiou sua espada longa e partiu para mais um dia de sua vida de guerreiro. Seu destino era as cavernas dos ricos anões, já que o dinheiro ultimamente era pouco. Ele e todos seus amigos haviam sido saqueados a algum tempo, numa triste noite de inverno, e agora precisava recuperar suas riquezas, mesmo não gostando de matar esses tipos de criaturas por dinheiro. Os anões poderiam ser muito perigosos.

Saiu da cidade grande e, antes de mais nada, foi arranjar alguma comida, mas não havia forças para matar alguma manada de lobos ou ursos, então preferiu a pacata atividade da pesca.

Abriu sua mochila e pegou uma pequena vara, juntamente um saco com minhocas, que serviriam como isca. Após um bom tempo no tédio não comum para os guerreiros, finalmente sentiu que pegou um peixe. Como sua habilidade era muito baixa, o peixe se debateu todo na hora de sair da água, encharcando sua mochila e tudo o que havia dentro. Mas pelo menos estava agora sem fome, pronto para seguir.

Estava passando pelas planícies entre os rios, quando oito lobos o cercam. Imediatamente ele saca sua espada e começa a matança, sabe que os lobos são fracos para ele, principalmente agora, que está com muita energia. Poucos golpes com sua espada fraca, porém bem cuidada, e só sobram carcaças. A comida guardada poderia ser útil mais tarde, quando os anões tivessem dado muito trabalho.

Após atravessar a ponte, o primeiro anão anuncia que Lord Yank está perto de seu destino, acabou de chegar ao território inimigo. Como é um guerreiro forte, mesmo com pobreza em equipamentos, armas e armaduras, conseguiu matar esse anão facilmente, com poucos golpes.

Foi seguindo por entre as montanhas, atento para qualquer movimentação ou perigo. Neste ponto estava em vantagem também, já que os anões eram muito barulhentos e não se movimentavam sem emitir altos ruídos, por causa das pesadas armaduras.

Quando estava chegando perto da entrada das cavernas, atravessou uma pequena floresta fechada, tendo que matar algumas aranhas venenosas. Nada perigoso para quem, quando bem equipado, matava dragões com poucos golpes letais.

Agora tinha chegado em um dos buracos que entrava para uma das cavernas, lembrou que precisava acender uma tocha, já que era tudo muito escuro lá dentro. Abriu sua mochila e viu que tudo continuava encharcado, culpa do maldito peixe. Então jogou fora as tochas inúteis e murmurou a magia 'utevo lux'. Seu corpo começou a emitir alguns fracos feixes de luz, o que já ajudava bastante.

postado por Zeca Daidone - 20:54 -

7 Comentários:

Anonymous Menel:

lol
viciado em tibia
xD
so 1 detalhe
"poucos golpes letais"
1 golpe letal = mata
entao como pode dar poucos (plural?)

novembro 22, 2005 9:04 PM

 
Anonymous dani:

shauhsauhsa
R0X =D

novembro 22, 2005 9:04 PM

 
Blogger Cluster:

menel, os poucos golpes, juntos, foram letais, não cada um deles.

novembro 22, 2005 9:10 PM

 
Blogger Docko:

....
Ser viciado em um jogo, tudo bem..
Mas tibia?!
ER ainda escrever uma historia com base no tibia?
A historia tá legal, mas a fonte..

novembro 23, 2005 10:06 PM

 
Blogger Cluster:

preconceito isso... :X

novembro 24, 2005 3:42 PM

 
Blogger Kid:

Por que o "no more adsense"?

novembro 24, 2005 10:39 PM

 
Blogger Cluster:

Um dia eu fui verificar quanto eu já tinha 'conseguido' com o adsense, e meus créditos tavam zerados... :P

Acho que não atingi a 'cota' mínima que eles pedem. Ou devo ter desrespeitado algum daqueles termos, que nem li direito.

novembro 25, 2005 12:07 AM

 

Postar um comentário

<< Home

o que era pra ser?

Blog feito para expressar opiniões que eram para ir contra a maioria da sociedade, mas acabam sem expressividade e não expressam nada com expressão mesmo. Então o objetivo é propagar informações e/ou qualquer coisa que talvez não sejam muito informativas, mas o principal e quem sabe até real motivo é servir como uma válvula de escape de uma criatividade extremamente fértil, que infelizmente de vez em quando não é bem direcionada. Por enquanto.

quem acho que sou?

cluster / josé a. daidone neto

Estudante de Engenharia de Computação na UFSCar, 22 anos de idade, inquieto quando era para ficar quieto e quieto quando era para inquietar-se, tenta estar animado mesmo diante dos piores cenários para nosso incerto futuro. Saiba mais aqui

Gosta muito de ler, de computadores, internet, desenhos animados, séries (mas não as numéricas), filmes de ação e de aventura, ama o seu quarto e é viciado em Pink Floyd, mas tem ouvido muita coisa ultimamente.

Não gosta de várias coisas, como por exemplo ter que repetir o que disse após um 'oi?' ou simplesmente perder um gol durante a educação física (isso não existe mais, enfim). Em tempos de universidade, não gosta de ter que dedicar tanto a teoria matemática e perceber que toda sua criatividade e tempo livre cada vez são menores. Também não gosta de ter que lembrar o que não gosta.

siga este caminho

nostálgico passado

li, gostei, recomendo

feed - sirva-se

outros

Powered by Blogger

Image 

hosted by Photobucket.com

BlogBlogs.Com.Br